2 de junho de 2011

Guitar Hero: Don't kill the metal

'Cause I have the pick of the destiny.
-Ouvindo muito Tenacious D?
Não apenas porque é uma banda bem engraçada de metal (Haha! A Palheta do Destino. Faz eras que não assisto), mas porque ela me lembra pra caramba o jeitão de Guitar Hero antigão.
-Guitar Hero?
É. Tudo zuado. Assim que é divertido.

[E assim Roxas lembra de sua adolescência]


Eu tinha prometido ao Renoth que iria fazer um Talk Show do Sofá Fedorento com um amigo meu sobre a incrível série Final Fantasy, a qual não tenho capacidade de comentar sozinho.
Mas estou num momento tão nostálgico que não tenho como fugir disso... Joguei GH esta semana mesmo e fiquei "waaaah, que legaaaal". Logo, o post de hoje pode ser classificado como OldSchool, de fato. Pegue seu tricô aqui e vamos fofocar, amigo.
Falando nisso, eu dou bastante trabalho pra Vick organizar meus posts, né? Não posto muito parecido com meus antecedentes de games aqui no AK. trolololololo




Mais famoso que seu antecessor, GH 1 (baseado no jogo GuitarFreaks [o qual não tive a oportunidade de jogar]), GH começou sua longa carreira de sucesso a partir de GH 2 (francamente, são raros as pessoas que não começaram a jogar GH pelo 2) desde de 2005.
Certamente, um jogo muito divertido com muitas músicas boas, por assim dizer.

Pena que toda história tem um final.


"Matando" um pouco a música, GH fez seu sucesso ao seu modo de jogar bem "parecido" de se tocar guitarra de verdade, apesar deles deixarem nós, seres mortais, deixarmos tocar as músicas pelo controle, diferente de Rock Band, que não permite mesmo.

Basicamente, não há o que explicar sobre este jogo: As bolinhas vem, separadas por cores, e você aperta-as junto com sua palheta na hora certa.

Ahhh... GH 2 me trás lembranças. Afinal, quem nunca jogou FreeBird não sabe o que é uma música infinita, a ponto de perder seus dedos como na luta do Krauser contra Jack, na turnê mundial Fim do Mundo, em Detroit Metal City.

Apesar de você poder ser bom em GH 2, sua habilidade não transfere pra uma guitarra de verdade, amigo. Eu já tentei! /falhou miseravelmente

Outra coisa interessante de GH 2 são seus inúmeros hacks existentes. Por ser rasoavelmente antigo, é bem fácil de cheatá-lo, criando, assim, o Anime Hero, um dos hacks mais famosos entre os otakus (mesmo?!).
E, apesar de ser oficial, Guitar Hero anos 80 é basicamente a mesma coisa de GH 2, só que com outras roupas e músicas mais fácieis.

Não importa, GH 2 marcou pra sempre!


Então veio o tão mundialmente conhecido o GH 3, com a música mais impossível do jogo: Through the Fire and Flames.

Eu particulamente gosto muito, mas muito mais das músicas de GH 3, pois possuem mas escadinhas e o a sensibilidade entre GH 2 e GH 3 mudam bastante. Entretanto, os gráficos de GH 2 me agradam mais, principalmente os StarPower's, que eram mais zuados.
Afinal, quem surgiu nesta época, no ano de 2007? Rock Band. Como competir contra isso sem ficar apelando?

É aí que veio a decadência de GH. A partir do 3, ao meu ver, eles tentaram "pop'ar" mais o GH, mesmo depois do Guitar Hero Metallica. GH 5, por exemplo, é uma droga. As músicas são uma droga, muito "pop" pro gosto do pessoal que já acompanhava desde antes da febre GH; basicamente, um outro Rock Band menos realista.

Mas como Rock Band pode ser mais realista se GH não conseguiu?
Eles fizeram uma outra espécie de guitarra, não apenas com os 5 botões coloridos em cima como em baixo também e, justamente estes botões, são mais quadriculados... Não são botões estilo "press me", se me entende.

[Retirado do site: CerealBox]

Porém, eu tenho uma raiva da palheta do Rock Band... Arg. As que eu joguei, só funcionam de um lado e são muito molengas.
Se é pra eu escolher, gosto muito mais da guitarra do Guitar Hero, mais confortável. Mas só falo isso porque jogo GH por um bom tempo, então estou mais acostumado.

Outra coisa são os gráficos e as músicas escolhidas pro Rock Band. Bom, todas as "variações" que joguei, sempre tem praticamente as mesmas músicas, assim como os desenvolvidores de GH fizeram desesperados em GH 5 e...
Sei lá. O gráfico é bonito e tal... Tenta se aproximar bem de uma caricatura da pessoa que está jogando mesmo... Mas, se fosse pra fazer isso, eu montaria uma banda de verdade e tocaria instrumentos de verdade.

Sendo velho ou não, devo informar aos desinformados que, desde de Fevereiro deste ano, o último Guitar Hero lançado foi o Guitar Hero 6: Warrios of Rock, encerrando assim o grande império de GH pelos jogos de música, passando para o "limpinho" Rock Band o legado de fazer jogos de músicas em que uma pessoa só pode ser uma banda completa.
O motivo foi que não estava mais tendo como competir contra a franquia de Rock Band mesmo, pela a guitarra e todos os outros intrumentos serem mais "realistas", que é isso que o público quer.
Como não estava mais vendendo (muito, mas muito abaixo do esperado o número de vendas deste último GH 6), infelizmente, a Activion teve que fechar, para sempre, as portas de GH.

Nada contra o Rock Band. Mesmo. É muito bem mesmo e a jogabilidade é excelente.
Mas eu nunca esquecerei do bom e velho Guitar Hero. Sentirei saudades de StarPowers. /cry

Deixo, para o final, um vídeo de comparação de jogabilidade entre GH 3 e Rock Band. (Pelo vídeo mesmo dá pra notar qual jogo tenta mais se aproximar realmente do que é tocar guitarra)



[E assim Roxas diz tchau pro seu bom joguinho de música]

6 comentários:

Kelvin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luigi disse...

Esse garoto se acha neee eu consigo passar de though the fire and flames no controle de ps2 U.U

Roxas disse...

Não importa o quanto se ache, nós nunca seremos tão fodas quanto o garoto que conseguiu 95%.
Também consigo passar no controle, mas isso não quer dizer muita coisa.

Luigi disse...

Eu consegui com 80 e poucos por cento #fuckyeah

V disse...

olá,adorei o post realmente GH foi um dos melhores.rsrs

Jessie disse...

Gemte eu fiquei tonta só de ver o garoto jogando q