2 de agosto de 2012

Bust a Groove 2: Fever Time

CO-CO-CO-CO-CO-COMBO BREAKER!

Ficwritters, não levem pro lado pessoal.

Estou trabalhando arduamente em zerar alguns jogos pra poder comentar aqui no AK, mas ainda está no processo de zerar... Continuo com minha política de fazer review apenas de jogos que zerei.

Por conta disso, vamos voltar a minha infância, exatamente ano 2000 e falar de um jogo que eu não faço ideia do porquê não fez sucesso. Esqueçam o Just Dance, DDR e qualquer outro jogo de dança que considerem "dahora". Conheçam o oldschool Bust a Move 2, o primeiro rythim game que tive contato! (o Bust a Move 1 não existe, é mito. Nunca existiu nas feirinhas)
Apesar da capa estar escrito "Bust a Groove", o nome é "Bust a Move" e me recuso a chamar de outro nome.
O motivo é que, ao ser lançado no Ocidente, já existia um jogo chamado "Bust a Move", então... Mas a versão que eu tenho (Ainda guardo meus jogos de ps1, ok? Infância) é japonesa, então, ao jogo iniciar: "BÂSUTI A MUUUUUUUBI"

-Espera, Roxas, se você não jogou o 1, e vai falar um review, como pode falar da história?
Eu joguei e zerei este jogo quando tinha 9 anos... Ou 10... Não lembro exatamente.
E crianças desta idade pulam a introdução dos jogos. I regret nothing!


  • História
  • É bom mesmo falar da história porque...
    Bom, eu não lembro.

    -Puxa, Roxas, que legal você falar de um jogo que nem a história sabe.

    Até me pergunto se tinha história porque... Hm.

    Bom, cada personagem tem sua história e sua motivação bizarra por estar dançando nas ruas, competindo com alguns dançarinos de outros estilos e talz... O problema é quando dança com robôs gigantes que destroem a cidade inteira, dinossauros, alienígenas...

    Na minha cabeça, o jogo é zuado. Tem umas histórias zuadas, pra gente rir mesmo e essas coisas.

    O importante é dançar mesmo! Esta é a história do jogo! Dance para salvar o mundo, issaê!


  • Jogabilidade
  • Como não tinham tutoriais naquela época, eu demorei bastante pra entender a jogabilidade do jogo.
    Não é apenas apertar os botões que aparecem na tela.
    É sentir a música~~
    E apertar os botões com estes mesmos sentimentos.

    -Hã?


    Aparece na tela uma sequência de botões que devem ser apertadas na hora certa para você continuar dançando. Achar esta hora certa depende do momento da música, do ritmo dela.
    Você até pode tentar ver quando a bolinha vermelha pisca, porque, quando ela pisca, é quando você deve ter apertado todos os botões do lado verde e apertar o vermelho naquele EXATO instante. Boa sorte, garoto, você tem 1 frame pra fazer isso.


    Quando eu jogava, eu me concentrava muito no jogo porque ele não é "um simples jogo de dança". Se o telefone tocasse, eu já perdia uma sequência inteira, o outro jogador me tacava um bolo pra tirar minhas pontuações e, cara... Ou alguém me chamava:

    Porque o jogo não tinha pause. Ou você terminava a fase ou apertava o "pause" e reiniciava a fase.


    Por sinal, eu aprendia meus movimentos de dança neste jogo, enquanto todo mundo dançava "boquinha na garrafa", eu imitava a Comet e tentava dançar como ela, porque patins são legais.

    Como disse, este jogo não é fácil. Não é apenas um rythim game. Você acha que "The Singing Passion of Hatsune Miku", de Diva Project 2, é difícil?! Ao menos você vê claramente quando deve apertar os botões!


  • Curiosidades
    • O jogo não ficou famoso. Não entendo como.
    • Como ele é zuado, vários esteriótipos e piadinhas japonesas (que a gente não entende) estão contidas no jogo. O ending do jogo é o mais tosquinho possível, mas ainda vale a pena ver.
    • Na minha memória, o 3D dele era melhor. Quando a gente é criança, a gente não percebe um monte de coisas, hahaha... Trágico.
    • Há poucas fases, poucos personagens... É um jogo pra ser jogado bem rapidinho. Eu zerei umas 300 vezes depois que peguei o jeito. Best feelings ever.
    • Foi feito pela empresa Enix antes de incorporar totalmente a Square.


    -Ah, faz o favor, Roxas, o jogo é horrível!


    É uma pena que nunca existiu continuação, ou o "Bust a Move 1" ficou desaparecido na imensidão da internet e essas coisas. Era algo realmente para ser lembrado.
    Os gráficos podem não ser de muito agrado (TRÁGICO!), mas ainda acho que vale a pena jogá-lo. É bem desafiador, cada personagem tem sua dificuldade (no controle de ps1, setas são mais duras que qualquer outra parte do controle, então fazia parte do desafio), cada um tem seu jeitinho meigo e tudo mais...

    0 comentários: