6 de setembro de 2012

Alice Madness Returns: Go to Wonderland

Faaaala pessoal do AK!

Eu ainda estou organizando uma jogatina incrível, um gameplay, com a dupla dinâmica Daisu e Yori, em que elas, junto comigo, jogaremos uma incrível partida de um jogo muito mágico, assim espero.
Lógico que a primeira coisa que eu e a Daisu faremos será aniquilar a Yori, pois não há nada mais divertido que isso.
-Roxas, ninguém assiste gameplays. Os que assistem gostam de ver reações das pessoas em jogos de terror
Não, mas vai ser tudo zuado, vai ser bem bacana, muitas tretas.

Bom, eu havia comentado ano passado sobre um jogo que estava esperando há muito tempo. Eu havia jogado o Alice American McGee's e havia me apaixonado totalmente pela história, sem falar que o jogo era difícil, o que era um desafio (ou vai ver eu achava difícil porque devia ter uns 13/14 anos).
Como havia comentado do remake que este jogo teria, eu estava super empolgado e tudo mais. Vou desabafar sobre a decepção de Alice Madness Returns.
Ok, decepção é uma palavra muito forte. O jogo ainda é excelente mas só porque paguei 20 reais pelo original com roupas desbloqueadas.


  • História
  • Se há uma coisa que não tem como reclamar, é a história. Tão envolvente, Tão... Chega a chocar algumas partes, sério mesmo! Chocar de você falar "Camelo, que foca!"
    No fim de Mc'Gees, Alice finalmente conseguiu sair de coma e está seguramente "sã", ou um pouco mais sã do que era.
    Continuando a partir deste ponto, Alice se encontra num intenso tratamento psiquiátrico. Ela mora em um orfanato porque nenhum de seus parentes querem ter uma louca perto dela.

    O doutor reforça muito o fato dela voltar ao Mundo das Maravilhas, ter sonhos, esquecer o passado traumático e tentar viver bem e feliz, mesmo a Alice retrucando que ele está destruído; ele reforça que ela tem que reconstruí-lo, já que entende que o Mundo das Maravilhas é parte dela, então, nada melhor que ela tê-lo de volta.

    Com o passar do tempo na cidade, ela volta a ter contato com situações muito delicadas, como pessoas famintas, luxúria, violência e essas coisas. Pra uma mente sensível como a de Alice está agora, estas coisas fazem um mal tremendo! E isso se reflete no Wonderland.

    Ela acaba retornando pro mundo dela pra escapar destas situações, como tanto quis o doutor. Porém, a mente da Alice está desequilibrada, isso significa que Wonderland também. Apesar do esforço dela de tentar reconstruir Wonderland, novas coisas... De petróleo... Estão atacando Wonderland e o destruindo totalmente. Eles também estão tentando impedir a Alice de recuperar a memória da noite do incêndio na casa dela e...
    Por que "petróleo"? E não era justamente o passado que ela tinha que esquecer? Por que, então, os amigos dela estão exigindo que a Alice não se esqueça do que aconteceu? Caso a Alice não tente recuperar a memória, toda Wonderland é destruída... Mas, por quê?

    -Mas, espera aí, o que está havendo?
    Bom, é isso que ao longo do jogo nós vamos descobrindo, e devo admitir que eles fizeram isso da melhor maneira possível. O roteiro deste jogo está muuuuuito bom, e agora que somou os gráficos, este jogo é quase uma obra de arte!

  • Jogabilidade
  • Eu não consigo jogar um jogo que tenha muitas funções no teclado. Por conta disso, eu jogava no controle.

    E esta jogabilidade é o que mais decepciona neste jogo. **** jogo monótono.

    Alice agora faz um monte de coisa, deixou tudo mais fácil pra nós, jogadores. Quando jogamos pela primeira vez, nós não enfretamos boss dos mundos, somos obrigados a jogar de novo se quisermos ter a emoção de uma batalha com um boss.
    Ou seja, enfrentar toda aquela renga renga de novo.

    Não somente isso, a medida do jogo, as fases vão se tornando longas e sem puzzles que sejam realmente... Puzzles! Como não precisa mais de estratégia pra enfrentar os monstros (a gente pode inclusive causar um explodes durante isso [enfrentar um personagem mili ficando numa distância que ele não alcança, por exemplo]), ficou tudo tão absolutamente fácil que... Que eu nem imagino como seja o nível "normal" no jogo, que, pelamor.

    Voltando a falar destas fases longas, ainda tem uns itens pra ter que ficar procurando pra zerar 100% e desbloquear roupa massa e... PRA QUÊ?! Você não precisa desta roupa massa pra ver o que é mais importante no jogo, a super história deles. Não há cena extra que desbloqueia e, se há, é irrelevante.
    Mas sempre fica aquele sentimento "noooo, mas eu quero zerar 100%", só que não deu pra mim. É muito "nhenhenhe" ficar procurando itens minúsculos ou ouvir um porco pra ganhar dinheiro onde nem tem mais onde gastar.
    Se é pra ouvir as memórias da Alice, que são meros extras, eu procuro na internet.
    -Peraí, mas não é sempre você que reclama das dificuldades do jogo?
    Os itens tão difíceis de achar, e agora, espertão?

    Existe dificuldade justa e injusta. Jogos como "I wanna be the guy" possui uma dificuldade injusta durante todo o jogo. Alice não é pra ser um jogo de jogabilidade injusta, mas também não é pra ser ridícula como estavam os puzzles das fases. Não só ridículos como qualquer criança de 10 anos consegue decifrar, sendo que o jogo é recomendado pra 17 anos.
    Este detalhe das memórias serem chatas pra achar, puro preciosismo, não me faz ter vontade de jogar o jogo de novo. Me faz ter vontade de ver as cutscenes de novo, porque só a história e o gráfico são incríveis.
    -Ah, mas todos os jogos de ação deste jeito são assim! Eles tem estes itens difíceis pra ficar hard as coisas

    Próximo post eu te cito um jogo de ação assim que a jogabilidade é IMPECÁVEL, com puzzles relativamentes difíceis e, olha o detalhe, não é ridículo e tem o tamanho certo para não ser repetitivo, o que o fez um ótimo jogo (que ganhou uns prêmios por aí e tudo mais). E não tem estas porcaria de itens de puro preciosismo.

  • Curiosidades

    • No dia 28/05/2012, Alice entrou em promoção no Steam e ficou com 80% de desconto. Foi onde comprei o jogo. Um jogo bonito deste jeito realmente vale 10 dólares.
    • Ao comprar Alice nas lojas, ganhe grátis a versão American McGee's para computador.
    • Quando eu falei que o jogo é uma obra de arte, ele realmente é. Os chineses que a EA contrataram realmente fizeram um excelente trabalho. Até convido a ver este ArtBook. É algo que realmente vale a pena.

      Os cenários, as roupas, os personagens... Tudo no jogo tem exatamente o que o jogo se trata: insanidade. Os personagens normais, sem ser em Wonderland, eles mesmos parecem doentes. O que nos faz pensar: será que aquela é realmente a visão real do mundo ou a Alice está vendo tudo daquela forma doentia porque ela é doente? Acreditar nas memórias delas ou não?

      Já disse como foi bem trabalhado o roteiro e a arte deste jogo?
    • O jogo possui uns minigames legais... E outros insuportáveis. Sério. A Rodula Room seria muito massa se a gente pudesse voltar no quizz do Cheshire, mas nós só o fazemos uma vez. Depois disso, quando voltamos na Rodula, é sempre "mate os monstrengos super chengas".
    • Assim como Kingdom Hearts, eu desejo absurdamente que os roteiristas escrevessem a história deste jogo em um livro. Este tipo de jogo, com uma história tão bem contada, valeria muito a pena ter como livro. Se a Ubisoft fez um livro de Assassin's Creed, por que a EA não faz um livro de Alice?

    Pronto, pronto, passou, para de falar mal do jogo.
    O jogo, como jogo, eu esperava muito, mas muito mais, entende? Eu criei muitas expectativas porque gosto bastante da série. A tendência destes jogos é mesmo serem mais fáceis e eles venderem a dificuldade a parte, com os DLCs... Maldito mundo capitalista.

    3 comentários:

    Daisu disse...

    ASUIODHFASOUIDFHASUDIHF, vai ser assim mesmo :B

    Yori disse...

    Vocês se aproveitam que o meu computador fica travando tá. u_u
    Minha vingança contra a Daisu já foi realizada em Portal 2

    Naath disse...

    Maldito mundo capitalista...

    Ainda tenho que jogar Alice American McGee's çwç

    Realmente, se fizessem um livro com essa história, eu compraria, leria e me casaria com o livro