4 de julho de 2012

Bra$ilis: Época de eleição

Olá pessoas! Férias chegam pra uns, greve chega para outros, mas a vida continua, não é mesmo?
Época de eleição também está chegando, os escândalos saindo nas propagandas, fofocas a parte, e tudo mais... Inclusive no próprio AK!

Consegui autorização especial da Vick e hoje vou falar de um jogo diferente e duvido muito que alguém tenha jogado porque é muito ruim é parcialmente falho. Mas ele tem tudo a ver com eleições, votos, desvio de dinheiro, escândalos e tudo mais, que é o que está acontecendo com a votação ali nossa.

-Roxas, por que vai falar de um jogo ruim?
Porque eu tenho uma autorização especial! 
AAAAAYE!


O jogo que irei falar se chama Bra$ilis.

-Quê? Não, Roxas, 100% brasileiro? Já começou errado

Calma, não sejam preconceituosos. Este foi o primeiro jogo da empresa Galápagos, tem várias falhas tanto em questão de material quanto de regras. Mas a ideia é muito legal mesmo (apesar que só este ano que comecei com esses jogos de tabuleiro por conta da loja Orgutal, que lá há milhões de jogos de tabuleiro para testar por R$5,00, tais como Colonizadores de Catan, Guerra dos Tronos, Fiasco, Máfia... Mas esses foram os que consegui jogar até agora, há bem mais na estante dele. Sem falar que o dono é super simpático, dá balinha pra gente e até joga umas partidas com a gente se a loja não tiver cheia PROPAGANDAAMIGAAQUI,OI!).

  • História:Você é um político corrupto e em breve terá eleições. Isto significa que você deve fazer de tudo para manter os amics, dar uma balinha pro povo e ainda continuar ganhando dinheiro. Porém, com o passar do jogo, aparecem notícias, o que pode ser uma notícia boa ou uma notícia ruim. Você, como político muito estrategista, deve ter muito cuidado com as notícias ruins, pois elas podem tirar todo o seu dinheiro (o que te faz sair do jogo), ou destruir sua imagem (o que faz você perder seu dinheiro no jogo) ou causar umas revoluções trabalhistas que são um pé no saco.

    Porém, claro, se a notícia ruim for para seu adversário na eleição, a vida continua numa boa. E assim como na vida real, é claro que, caso seja bastante influente, você pode manipular a mídia e fazer com que aquela notícia acabe caindo para o seu adversário.

  • Jogabilidade: É basicamente um jogo para ser zuadeiro. Em uma rodada, há três momentos:
    • O momento que a notícia do monte de nóticias é revelada
    • A decisão de cada participante se tentará manipular a mídia ou não
    • A subordinação da mídia
    Obrigatoriamente, duas pessoas tem que estar na mesa de subordinação, o que significa que todas as notícias da vida são controladas. Caso seja uma notícia boa, você pode comprar a notícia pra você (ou pra um colega seu, hahaha, não). Caso seja ruim, você pode ou sair da mesa de negociação OOOOOOU (é a parte que achei mais massa) comprá-la pra um adversário seu, claro. Quando eu joguei, bastava sair uma notícia ruim e alguém começar a comprá-la pra outra pessoa, era todo mundo pra cima daquela pessoa, comprando pra ela. Se ela tivesse decidido sair da negociação, a vida dela no jogo estaria beeeeeeem lascada, pois nem teria como se defender. 
    -O jogo, basicamente, é usar meios ilícitos para
    acabar com a vida do adversário?
    Óh, você aprende rápido.

    Um dia tem quatro notícias. Quando um dia acaba, uma pedaço de pizza é adicionado na grande pizza e começa outra rodada. O jogo termina quando a pizza fica completa. Isso significa que, por mais que haja revoluções, revoltas, escândalos no dia-a-dia, tudo acaba em pizza.

    Há outras regras no jogo, como "Cartas de Poder", as quais são usadas para influenciar a notícia, "Cartas de Auxílio", que são marketeiros, advogados, essas coisas... Há a "Revolução", em que o político que tem a pior imagem recebe um monte de punições... Não são complexas para entender, o livro de regras tem uma página e meia; o jogo foi feito para ser jogado bem rápido e entendido bem rápido, então pode ser que dê pra jogá-lo umas 3/4 vezes seguidas.

  • Curiosidades ruins:
    • O material da caixa, da carta não são bons... Com o passar do tempo, ele fica meio curvo, meio irrugado por conta da umidade (por mais que seu quarto seja arejado)... Mas foi o primeiro jogo da Galápagos, então, vamos dar um desconto neste aspecto.
    • Há parte das regras falhos: há um tipo de "Cartas de Poder" que possuem multiplicadores, que se refere a "última carta jogada pelo jogador adversário". Mas se eu comprar algo pro meu adversário, este multiplicador se aplica a carta que eu joguei pra ele ou irá pra ele?
      Não há somente este glitch que há no jogo, mas já viram que os multiplicadores já dão problema; se forem jogar o jogo, é melhor tirá-los.
    • Nós percebemos que foi o primeiro jogo de uma empresa também pela qualidade da arte. Para o artista que desenhou as imagens nas cartas de notícia, nós percebemos a sua pressa e desleixo.


    O jogo pode ter alguns glitch e talz, mas é bem divertido quando se joga com amigos bem barulhentos. É claro que, pelo menos pra mim e meus amigos, nós não jogaremos de novo tão cedo pois teremos que refazer muitas das regras, e a preguiça domina.

    E este post não é uma indireta para quem está comprando votos aqui na eleição do AK. Não que eu esteja desconfiado que temos 61 leitores diferentes ativos, que só não comentam nos posts de seus postadores preferidos por pura vergoinha, mas votar neles tudo bem.
    Nãããão. Jamais pensaria algo assim.

    Mas, quem votou em mim até agora:

    2 comentários:

    May-chan disse...

    Oi ^^
    Primeira visita minha aqui no blog.
    Gostei bastante, esse jogo parece bem legal, apesar de tudo. É só fazer uma limpeza nas regras e voilá XD

    Pena que não tem nenhuma loja assim aqui perto pra eu experimentar Ç.Ç

    Voltarei ao blog mais vezes pra ler as matérias.

    Beijos

    Daisu disse...

    O jogo pareceu legal, mesmo tendo paradinhas ruins, da pra ajeitar e jogar e tal. Eu achei, principalmente a ideia do jogo(políticos corruptos e tal)muito showpra se jogar *levatiro*