30 de junho de 2011

D&D: Roll a D6

Boa tarde senhoras, senhores, senhoritas, dinossauros e unicórnios.
Semana passada não pude postar nada sobre nada porque enfrentei grandes problemas técnicos. Todo mundo está de férias menos eu, que tem um bando de projetos pra entregar ainda.

Se eu queria continuar meu talkshow do Sofá fedorento?

Mas como parece que ninguém gostou e nem me deram permissão pra continuar...

Hoje vou falar de um jogo muito, muuuuito épico. Um símbolo, um orgulho.
Desde de 1974 fazendo histórias.
Um dos primeiros.



Querendo ou não, você sabe muito bem, ou tem noção, do que seja um RPG (Role Playing Game/Jogada Por Turnos). O rpg que irei falar muito brevemente hoje é o ícone nerd Dungeons & Dragons, abreviado como D&D.

Não preciso explicar muito. Basicamente, para se jogar D&D (ou qualquer outro rpg), é necessário, pelo menos, uns três fundamentais requisitos:
1.Um Mestre do Jogo (Dungeon Master/DM)
2.Mínimo de duas pessoas para fazer um personagem cada
3.Livros para auxiliar

Como o nome já diz, Mestre do Jogo é... O Mestre do Jogo. Ele quem determina as regras de como vai ser jogado o rpg, como serão os atributos dos personagens, os monstros e a história a se seguir.
O problema é que não é todo mundo que consegue criar uma história épica digna de rpg do nada, então os livros de rpg ajudam neste quesito, onde especifica os monstros, as armas, o ambiente e tudo mais que o Mestre precisa pra criar uma boa história, como o Livro do Mestre e o Livro dos Monstros. Existem outros livros de D&D, mas estes são essenciais para o Mestre ter mais controle e ideias do que fazer na história (comumente medieval, para fazer jús as armas).

As outras duas pessoas criam seu personagem (as vezes, desenham-o), criam uma história pessoal, características pscicológicas (as quais devem ser interpretadas) e entregam pro Mestre avaliar. É responsabilidade do Mestre enquadrar seu personagem na história do rpg mesmo.
Uma dica é nunca criar um personagem com uma personalidade que você não está preparado para interpretar, pois no role-play vai ser exigido que você pense como seu personagem e tente sair de situações que o Mestre colocará.
Entretanto, o Mestre é livre para matar seus personagem com a GUITARRA ASTRAAAAAL!
Na verdade, o monstro mesmo se chama "Piano Astral", em que ele é invocado apenas pelo Mestre e não pode ser derrotado. Quando ele aparece, da sua dimensão inter-astral, ele cai no personagem desafortunado, esmagando-o imediatamente sem possibilidade de ressureição. Quando os céus se tornam negros e uma música clássica toca do nada, é sinal de que alguém irá morrer com um piano na cabeça.
Se você é tímido, não crie um personagem mulherengo, pois, ao ver uma mulher muito bonita, mesmo sendo inimiga, ele vai querer seduzí-la e você, tímido, não vai conseguir fazer isso. Se interpretar errado, de acordo com o Mestre, é passível de punição ou então morte de personagem.

O Mestre quem decide quais as raças que terão na história e o Livro do Jogador possui um guia com todas as raças, religiões, vestimentas e tudo mais que o jogador precisa saber para fazer um bom personagem e conseguir interpretá-lo sem receber punição.

Não tem como eu falar muito bem sobre como jogar este jogo pois ele lhe dá infinitas possibilidades de como jogar, tudo depende do Mestre.
Porém, uma grande diferença de D&D é o uso do Dado de 20 lados, o D20. A parte de história do jogo normalmente é decidida com o rolar destes dados, por exemplo:

Vocês estão em um bar tomando cerveja
P1: Mestre, quero começar uma guerra de comida.
Mestre: Rola um D20 com dificuldade 15.
*rola o D20 e deu 10*
O P1 grita "Guerra de Comida" no meio do bar e todos os olham desconfiado pra ele
P1: Agora quero roubar as calças do cara sentado ao meu lado. Ele parece ser rico.
Mestre: Rola um D20 com dificuldade 20.
*rola o D20 e deu 20*
Furtivamente, o P1 rouba as calças de um nobre senhor feudal.

Estas dificuldades são decididas pelo Mestre e ele tem que estar preparado para qualquer situação inusitada que os jogadores forem fazendo, sem perder o foco da história. Um rpg sem uma ideia fixa de como será o começo, meio e fim tem um fatídico destino de ser abandonada pelos seus jogadores, pois acaba se tornando muito confusa.

As lutas são, basicamente, como lutas desses rpg de video game que você com certeza já deve ter jogado (a única diferença é que você não vê o HP do monstro no canto superior esquerdo da tela). Seu personagem, dependendo da raça e classe, possui ataques, que podem ser evoluídos. Nas sessões que eu joguei, havia o seguinte esquema:
1. Jogar D20 para acertar o monstro, em que a dificuldade do monstro são os pontos de Iniciativa dele
2. Se acertar, jogar dados de dano
3. Se errar, o monstro ri de você
4. Se errar tirando 1 no D20, você escorrega e leva dano

E ia de personagem a personagem de acordo com este esquema. Para o monstro, mesma coisa.
Uma dica para o Mestre é nunca colocar monstros demais numa mesma batalha, pois esta pode se tornar extremamente longa. Se possível, no meio da batalha, adicionar um role-play. Assim se torna mais dinâmica.

Pode parecer cheio de regras, mas acredite que é muito divertido de se jogar. Há Mestres bons e há Mestres ruins, mas, não importa que tipo de Mestre é o seu, o jogo sempre será divertido ao se jogar com amigos. Há opções de se jogar rpg no msn, com o programa Roller Dice, mas é sempre mais divertido jogar ao vivo mesmo (e mais fácil de organizar).

Para finalizar o post, não vou só dizer que D&D é divertido e talz como existem Jogos e Séries (não falo da quantidade de fics) baseados em histórias que foram criadas em sessões de RPG (sabe como é, alguns Mestres se empolgam demais /háháhá)


Há muitas outras referências de histórias criadas a partir de D&D e outras lombrigações de Mestres loucos, mas encerro este post por aqui. Já basta eu ter colocado uma série amadora chamada "The Gamers" aqui, né, Vick?

1 comentários:

LucaZ disse...

Muito boa a materia mais me deixa com o caraçao na mao pq meu mestre ta meio que sem tempo entao fico loco pra jogar mais como vc disse tem que ser "ao vivo" e muito melhor ir e ficar rindo "haha tiro 1 no dado " entao fazer oque ne...Roll D6 Roll D6